Abuso sexual infantil: é preciso que educadores falem sobre o assunto

Home / Pedofilia / Abuso sexual infantil: é preciso que educadores falem sobre o assunto

Educadores têm papel fundamental na identificação de crimes de pedofilia. Além de prestar atenção em sinais que a criança ou o adolescente vítima de abuso pode demonstrar, é fundamental que o educador não se omita por nenhuma razão caso suspeite de algo.

Devido à proximidade dos professores com os alunos, uma forma de se prevenir os crimes de pedofilia é através de treinamentos com essa finalidade, além de falar sobre o assunto, alertando para o perigo.

Catalisadores de informação

Devido à proximidade dos professores com os alunos, uma boa forma de se prevenir os crimes de pedofilia, seja através de treinamento eficiente dos profissionais da educação com essa finalidade.

Além do aspecto informativo, a escola pode ser um competente canal entre as vítimas e os organismos responsáveis.

“No ano passado distribuímos cartilhas e kits de prevenção em todas as escolas esclarecendo diversas questões, entre eles a do abuso sexual e a do uso de drogas”, informou a Coordenadora de Estudos e Normas Pedagógicas da secretaria, Valéria de Souza. A realização de congressos com a participação de alunos e familiares também teve boa aceitação junto aos membros da secretaria. “Isso é possível no Programa Escola da Família”, constatou a coordenadora pedagógica.

Visando coibir crimes de violência física, psicológica e sexual contra alunos da rede estadual de ensino (entre outros), as secretarias da Educação e da Segurança Pública, junto com a Procuradoria-Geral do Estado, também criaram resolução conjunta que dispõe sobre os procedimentos relativos à apuração e à aplicação de penalidades praticadas por servidores ligados à Secretaria da Educação.

Disque 100, baixe o aplicativo Proteja Brasil ou entre em contato com o Conselho Tutelar ou a Polícia local. #NãoFecheosOlhosParaIsso