Cuidado – frequentemente o agressor é um membro da família ou responsável pela criança

Home / Pedofilia / Cuidado – frequentemente o agressor é um membro da família ou responsável pela criança

Quando se trata de violência sexual contra a criança, infelizmente, há um dado alarmante: frequentemente, o agressor é um membro da família ou responsável pela criança, alguém que ela conhece, confia e com quem, muitas vezes, tem uma estreita relação afetiva.

 

 

O abuso sexual cometido por meio do incesto é o mais profundo e traumático, pois marca, de forma dilacerante, o abandono e a traição – à criança fica a sensação de que lhe foram negados direitos inerentes às famílias, como o amor e a confiança.

As consequências disso são emocionalmente devastadoras: uma autoimagem destruída e uma profunda dificuldade em estabelecer relações de respeito, admiração e confiança até a vida adulta – e durante toda ela, se não for devidamente tratada com o auxílio de profissionais habilitados e cuidadosos.

Silêncio

O silêncio é uma tentativa de preservar a família, evitando se dar conta da contradição existente entre o papel de proteção esperado da família e a violência que nela se dá. Em muitos casos, o silêncio e a negação caminham juntos.

 

Não feche os olhos: conheça alguns sintomas que podem indicar que a criança ou adolescente está sendo vítima de abuso sexual e denuncie.

 

Comportamentos mais frequentemente observados em crianças que foram ou são abusadas sexualmente

1 – Crianças extremamente submissas

2 – Crianças extremamente agressivas e antissociais

3 – Crianças pseudo-maduras

4 – Crianças com brincadeiras sexuais persistentes, exageradas e inadequadas

5 – Crianças que frequentemente chegam muito cedo à escola e dela saem tarde (num esforço inútil de escapar da situação do lar)

6 – Crianças com fraco ou nenhum relacionamento com seus pares e com imensa dificuldade de estabelecer vínculos de amizade e com falta de participação nas atividades escolares e sociais

7 – Crianças com dificuldade de concentração na escola

8 – Crianças com queda repentina no desempenho escolar

9 – Crianças com total falta de confiança nas pessoas, em especial nas pessoas com autoridade

10 – Crianças com medo de adultos do sexo oposto ao seu

11 – Crianças com comportamento aparentemente sedutor com pessoas adultas do sexo oposto ao seu

12 – Crianças que fogem de casa

13 – Crianças com sérias alterações do sono (como em geral os abusos são feitos na cama, se estabelece o medo de dormir e sofrer o ataque )

14 – Crianças com depressão clínica

15 – Crianças com ideias suicidas

16 – Crianças com comportamentos de automutilação

17 – Crianças com imensos sentimentos de culpa em relação a tudo